O protocolo HTTP é utilizado para acessar paginas de internet. É uma camada que cuida da requisição de páginas realizada por um cliente a um servidor web. Quando você acessa uma página pelo seu navegado de internet digitando uma URL ou clicando em um link, o seu navegador envia uma solicitação HTTP para um servidor de internet. É aí que entram os códigos HTTP. Eles são a resposta do servidor, um código pré combinado que tem significados específicos.

Os códigos HTTP são vários e neste artigo o foco são os códigos de redirecionamento: 301 e 302.

Em resumo, cada código tem um significado simples explicando se e por que a página foi redirecionada:

  • 301: o redirecionamento da página é permanente.  Neste caso os mecanismos de busca entendem que o ranking da página original deve ser passado á página para a qual foi feito o redirecionamento.
  • 302: o redirecionamento da página é temporário. Não devem haver efeitos permanentes com relação ao ranking da página, mas os usuários são direcionados de forma temporária.

O Matt Cutts fala um pouco sobre como o ranking da página se comporta quando ocorrem redirecionamentos

Os dois códigos tem a função de informar ao navegador que a página foi redirecionada. Quando um link indica uma página redirecionada, o navegador precisa solicitar novamente a página para a qual o link foi redirecionado. Isto pode ocorrer de várias maneiras, mas em todas elas há um custo de tempo envolvido na solicitação e isto significa que o usuário vai demorar um pouco mais para ver a página que gostaria. Na maioria das vezes o tempo de redirecionamento é bem pequeno, da ordem de décimos de segundo, mas ainda assim é uma possibilidade de otimização que pode ter valor a longo prazo.

Redirecionamento de links

Se você tem um artigo em seu site com um link para uma página que retorna 301 ou 302, vale a pena fazer uma modificação e trocar o link para o link destino do redirecionamento.

Existem várias ferramentas para identificar links redirecionados. Uma delas é o Xenu, que roda em Windows e em poucos minutos faz um relatório completo de seu site.

Outra ferramenta mais voltada para automação é o Benfica Check Links. Além de permitir avaliar vários sites ao mesmo tempo, gera um relatório unificado e ainda exporta para CSV facilitando a utilização em planilhas.

Siga os passos abaixo após identificar um link redirecionado em um artigo:

  • acesse o link que já existe em seu artigo
  • veja para onde a página será redirecionada
  • cope da barra de endereços do navegador a URL para a qual o acesso foi redirecionado
  • substitua em seu artigo a URL anterior pela copiada da barra do navegador

Esta prática simples replicada centenas ou milhares de vezes em todo o seu site vai torná-lo no geral mais agradável ao seu visitante. Além disso a chance de links se quebrarem no futuro é muito menor, visto que alguns sites apenas mantêm o redirecionamento por um tempo e depois a página original passa a retornar 404, que é um link quebrado. Inclusive, evitar links quebrados é uma das melhores motivações para substituir os links que geram redirecionamentos.

Os códigos HTTP são numerados e os códigos de 200 a 299 são relacionados a sucesso. Acima deste valor são erros e avisos de diversos tipos. Uma boa forma de priorizar a correção é começar com os maiores códigos primeiro, de 999 até chegar em 300.

Obviamente consertar os links já quebrados é uma prioridade muito maior, mas os redirecionamentos vem logo em seguida!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)